14/11/2017

Novidade Booksmile - Puzzles 3D: o fantástico mundo dos aviões e dos comboios



Adoras aviões e comboios? Então não podes perder por nada estes livros (em forma de caixa) que te explicam tudo sobre a história destes dois meios de transporte. No fim trazem ainda a oferta de um avião e de um comboio em 3D para montares e brincares! Vão ser horas de diversão garantidas! 
Viaja, explora e aprende
Nesta fantástica aventura, vais aprender tudo sobre vários tipos de aviões e descobrir como é que eles funcionam. Além disso, vais conhecer a impressionante história dos seus inventores e perceber como é que o primeiro avião levantou voo.​ 
No final, podes construir o espetacular triplano pilotado pelo famoso aviador Barão Vermelho.
 
Viaja, explora e aprende
Embarca nesta extraordinária aventura pelos caminhos de ferro e desvenda as maravilhas de um dos meios de transporte mais usados em todo o mundo. Fica a saber de que forma funcionavam as primeiras locomotivas e que velocidades atingem os comboios modernos, entre tantas outras curiosidades. No final, constrói o modelo e observa todos os detalhes da incrível locomotiva!


Belgravia, de Julian Fellowes



Opinião:
Fã de Downton Abbey, e sendo este o autor o criador da mesma, não podia deixar de ler Belgravia, apesar de que neste livro não se foca tanto nos criados, mas também têm um lugar de destaque, pois eles melhor do ninguém conheciam os segredos dos patrões.
Posso afirmar que é um romance histórico que arrebata logo de inicio, somos transportados para Inglaterra durante o século XIX, onde decorre a batalha de Waterloo, e é precisamente um acontecimento trágico ocorrido nessa altura que vai mudar a vida de todos os personagens.  
A história gira em torno de três famílias, duas foram devastadas com a perda de ente queridos, são os Trenchard e os Bellasis, tiveram de lidar com a dor, o sofrimento, o que fez com que no fundo moldasse a vida de cada um, sendo de classes sociais diferentes, quis o destino que as suas vidas se entrelaçassem sem saberem, uma delas guardou um segredo durante mais de vinte cinco anos, e quando se descobre, as repercussões podem abalar estas famílias, mas também pode não agradar a outros, ao ponto de não o quererem ver revelado, pois existe no seio de cada família ambição, intrigas, traição, vingança e romance. 
O enredo gira em torno desse segredo, e vai sendo desvendado ao longo das páginas, com surpresas pelo meio, através da escrita do autor tão fluída, e descritiva, onde nenhum detalhe é deixado ao acaso, a forma como descreve a sociedade na altura, como viviam, a atmosfera, os bailes, como se vestiam. E depois claro os personagens, bem construídos e caracterizados, capta a essência de cada um deles, é de destacar as personagens femininas, que são fortes e determinadas, e tudo isso é passado para o leitor de uma forma maravilhosa, sentimo-nos dentro desta época.
É realmente um romance histórico muito cativante, uma delicia para quem gosta deste género literário. Li num ápice, recomendo sem dúvida alguma.

Podem ler mais sobre o livro no site da Editorial Presença aqui


Novidades Topseller nas livrarias

O Sétimo Mandamento 
Páginas: 400 pp.
PVP: 17,69€

Depois da publicação do sucesso Dominus, Tom Fox oferece uma nova perspetiva sobre o conceito da fé e da natureza dos milagres, que agradará muito aos leitores.

Sinopse:
Serão todas as profecias verdadeiras?
Durante uma escavação arqueológica realizada no centro de Roma, é encontrada uma antiga tábua de argila com sete profecias inscritas em acádio, uma língua há muito extinta. A primeira profecia previa que aquele que encontrasse a tábua morreria de forma funesta e célere. E assim acontece. Quando, uma a uma, as profecias se vão realizando, o pânico e o caos instalam-se na cidade.
O relógio não para.
Numa corrida contra o tempo, em que cada segredo esconde uma mentira, e em que estranhos versos de uma tábua antiga parecem conter as respostas, cabe a Angelina Calla, especialista em acádio, e a Ben Vordyx, dos Arquivos Secretos do Vaticano, descobrir o que está por detrás desta maldição.
Será tudo isto real?

Sobre o autor:
Tom Fox é um conhecedor profundo dos meandros do Cristianismo, resultado de muitos anos de estudos académicos.
Sendo uma autoridade respeitada no assunto, Tom Fox dedicou-se recentemente à exploração de novas histórias, que se destacam devido à sua dimensão misteriosa.
Dominus foi o seu sensacional romance de estreia, publicado pela Topseller em 2016.
 

O Diabo, o Relojoeiro e a Máquina dos Sacrifícios 
Páginas: 384 
PVP: 18,79€
 
Autor vencedor do Phillip K. Dick Award e quatro vezes do British Fantasy Award, Michael Marshall Smith tornou-se no autor com mais nomeações até ao momento.

O Diabo, o Relojoeiro e a Máquina dos Sacrifícios é uma obra com tom mordaz e irónico, num estilo semelhante à série Lemony Snicket.

Sinopse:
Imagine, caro leitor, a oficina de um relojoeiro.
Imagine ainda que esta história se passa num mundo banal e que o relojoeiro é, também ele, um homem normal… com um talento extraordinário.
Até ao dia em que alguém entra na oficina com o mais invulgar dos pedidos: uma máquina para converter a maldade do mundo em energia.
Quem (pergunta-se o leitor) quererá esta bizarra extravagância? Ora, ninguém mais do que o próprio Diabo… Que, como se sabe, tem formas muito persuasivas de obter o que deseja.
Passaram-se séculos, e o Diabo e a sua máquina estão a ter problemas. É então que, acidentalmente (embora se suspeite de uma certa influência maligna), a pequena e ingénua Hannah Green é arrastada para uma tenebrosa aventura maquinada pelo Diabo.
Preste bem atenção, estimado leitor, pois aqui começará também a sua história, num mundo onde as aparências enganam e as coincidências não existem.

Sobre o autor:
Michael Marshall Smith é o pseudónimo usado por Michael Marshall, guionista inglês e autor bestseller de thrillers e literatura fantástica.
Michael Marshall Smith venceu quatro vezes os prémios atribuídos pela British Fantasy Society, tornando-se o autor com mais nomeações até ao momento, e ainda recebeu o August Derleth Award para Melhor Romance, em 1995, e o Philip K. Dick Award, em 2000.

O seu livro, The Intruders, foi adaptado para série televisiva com o mesmo nome, em 2014.
Saiba mais sobre o autor em: www.michaelmarshallsmith.com.
 
 

Sextante Editora - "HHhH" nos cinemas portugueses a 23 de novembro

Título: HHhH – O Cérebro de Himmler chama-se Heydrich 
Autor: Laurent Binet 
Págs: 304 
PVP: € 16,60 

Romance de Laurent Binet foi a inspiração para o filme O Homem do Coração de Ferro 

Laurent Binet estreou-se na ficção com HHhH – O Cérebro de Himmler chama-se Heydrich, publicado em 2011 pela Sextante Editora. Depois de ter recebido o Prémio Goncourt 1.º Romance e alcançar o sucesso internacional, a história chega agora ao grande ecrã em O Homem do Coração de Ferro, filme de Cédric Jimenez que estreia a 23 de novembro nas salas portuguesas e protagonizado por Jason Clarke e Rosamund Pike.  Desde sempre fascinado pela Segunda Guerra Mundial, Laurent Binet conta em HHhH a história do assassinato de Reinhard Heydrich, chefe dos Serviços Secretos nazis e braço-direito de Himmler, comandante das Schutzstaffel (SS) e uma figura-chave na preparação do Holocausto: «A Segunda Guerra fascina-me porque condensa tudo o que há de pior e de melhor na humanidade. É a tragédia das tragédias, a maior epopeia da História, o romance infinito, um reservatório de histórias terríveis, patéticas, esplêndidas, heroicas, que parece não se esgotar nunca. É mais forte que a Ilíada, mais forte que Ésquilo, mais forte que tudo. É o terror e a piedade, e para mais é tudo verdade.»

SINOPSE 
Praga, Primavera de 1942, Operação Antropóide: dois pára-quedistas checoslovacos são encarregados de assassinar Reinhard Heydrich, o chefe dos Serviços Secretos nazis e da Gestapo, «o homem mais perigoso do Terceiro Reich». Heydrich era o braço direito de Himmler e o chefe de Eichmann, e os nazis brincavam com o acrónimo HHhH: Himmlers Hirn heißt Heydrich, o cérebro de Himmler chama-se Heydrich. Todos os personagens deste livro existiram ou existem ainda. Todos os factos relatados são autênticos. Mas por detrás dos preparativos do atentado, uma outra batalha tem lugar, a que a ficção romanesca trava com a verdade histórica. E é necessário levar a história até ao fim. 

O AUTOR 
Laurent Binet nasceu em Paris em 1972. Com esta obra, HHhH, que foi considerada Romance Francês Revelacão pela revista Lire, venceu, em 2010, o Prémio Goncourt para 1º romance. Publicou em 2012 a crónica da campanha residencial de François Hollande intitulada Rien ne se passe comme prévu, e, em 2015, o romance A sétima função da linguagem – Quem matou Roland Barthes?, galardoado com o Prémio de Romance FNAC e publicado em Portugal pela Quetzal.

Sobre o livro:
Primeiro romance, golpe de mestre. Le Figaro  
Formidável, magnífico! Claude Lanzmann, realizador de Shoah  
Binet sabe que a escrita é uma aposta ambígua, que exige uma ética da linguagem e uma moral da forma. O seu primeiro romance demonstra-o magnificamente.  Le Monde des Livres  
Laurent Binet presta uma magnífica homenagem aos dois autores do atentado, Kubiš e Gabčík, sempre no seu estilo desconcertante. L’Express  
Seria bom que muita gente lesse este livro. Provar-se-ia que um primeiro romance pode obter de imediato um êxito inteiramente merecido. Provar-se-ia também que Laurent Binet consegue, desde o início, impor o seu estilo, a sua escrita, a sua maneira muito original de contar um episódio trágico da Segunda Grande Guerra. Bernard Pivot, da Academia Goncourt 


Gonçalo Cadilhe seleciona 99 destinos de viagens no seu novo livro - O ESPLENDOR DO MUNDO

Mais uma novidade editorial a caminho das livrarias, O ESPLENDOR DO MUNDO, de Gonçalo Cadilhe. 

Do nascer-do-sol nas dunas da Namíbia ao entardecer nas Cinque Terre, da descida do rio Mekong em balsa à travessia do Pacífico num cargueiro, ou dos Templos de Tikal ao exército de terracota de Xian, o escritor e viajante seleciona nestas páginas 99 destinos que o leitor devia conhecer, mesmo aqueles que nunca irá querer visitar.

Domina, de L. S. Hilton



Opinião:
Domina é o segundo volume da trilogia que tem como protagonista Judith Rashleigh, voltamos de novo às peripécias desta personagem, que pensa ter-se livrado do seu passado turbulento, usando uma identidade falsa, encontra-se a viver em Veneza, onde pensa que ninguém a descobre, mas como se costuma dizer, o mundo é pequeno.
Como referi na opinião do livro anterior, Judith transformou-se numa sociopata, cruel, numa mulher que manipula e seduz os homens de maneira a atingir os seus objectivos, e o no meio disto tudo o que move Judith não é o amor é o sexo. Realmente é uma protagonista atípica, diferente, e neste livro foi levantado um pouco do véu sobre a sua infância, e da sua ligação à mãe, o que de certa forma ajudou a moldar a sua personalidade.
Mas a verdade é que não consegui sentir empatia por esta personagem, acho-a frívola demais, mas também é o facto de se dar com pessoas muito pouco recomendáveis, não podemos estar à espera que tudo corra bem, e nos momentos de mais acção pensamos que ela vai finalmente ser apanhada, não é que consegue sempre desenvencilhar-se das situações, saindo incólume.
A autora quis juntar no enredo erotismo e thriller, e realmente existem no livro momentos de muito sexo, aliados a mortes, assassinatos, em que a protagonista na verdade não deixa de ser uma assassina,  pois não olha a meios para atingir os fins, mas o enredo em si não é complexo, e a história também não, tirando o facto de ter algumas surpresas pelo meio, e denota-se é a evolução da personagem que se torna mais requintada nos actos que pratica.
Gostei mais de Maestra, talvez por ser novidade, pelo menos para mim, que raramente leio livros eróticos, mas a verdade é que estou curiosa e quero ler o desfecho desta trilogia, fico por isso a aguardar o terceiro volume com mais aventuras da Judith.